sábado, 17 de junho de 2017

Palavras...


Palavras como flechas pontiagudas que descem rasgando a alma.
Palavras não fazem o caminho de volta.
Elas seguem o seu fluxo rumo ao infinito.
Há palavras que nos matam como um copo de veneno.
Como bálsamo algumas inverdades.
Talvez não estejamos prontos para o não dito.
Preferimos o não dito, o semidito, a inverdade.
Aquilo que não sei é o que me move.

30/05/2017